BB recua e retira voto de minerva

(São Paulo) Em negociação com a direção do Banco do Brasil, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e representantes dos eleitos e dos aposentados conseguiu avanços rumo à solução definitiva dos problemas da Cassi. Além de extinguir o voto de minerva nos conselhos, o Banco aceitou corrigir anualmente os valores investidos.

O montante aplicado na Cassi será de R$ 300 milhões, sendo metade em 2007 e três parcelas nos anos seguintes, de R$ 50 milhões cada, corrigidos pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC/IBGE). “A correção é fundamental para a eficácia dos investimentos”, sustenta Marcel Barros, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB. “As perdas da inflação precisam ser repostas para garantirmos a manutenção dos valores investidos nos serviços próprios.”

Do ponto de vista da gestão, o voto de minerva foi extinto graças à mobilização dos trabalhadores. O Banco queria retomar o controle sobre os conselhos, podendo desempatar as disputas. Agora, as decisões terão de ocorrer por maioria absoluta. Foi retirada também a proposta de eleições para os conselhos e para a diretoria executiva a cada quatro anos, permanecendo a cada dois anos. O Conselho Fiscal passou a contar com seis membros, metade eleita e metade indicada pelo Banco. Ficou definido que todos os indicados poderão ser substituídos a qualquer tempo.

A co-participação será de 10% em eventos não-hospitalares, excluídos quimioterapia, radioterapia, diálise, hemodiálise e transfusão de sangue, limitada a 1/24 avos do salário bruto com incidência única. “Vamos estudar também a exclusão de oxigenação hiperbárica”, afirma Marcel.

A direção do BB deu sinais de que o plano odontológico, vai sair do papel. O Banco se comprometeu a oferecer esse tipo de atendimento verificadas o equilíbrio no Plano de Associados. “Na avaliação da comissão de negociação, as medidas de custeio equilibram o Plano, o que garante a implantação do plano odontológico, reivindicação antiga dos funcionários”, Zé Luís, representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

A contribuição patronal e pessoal foi fixada sobre o 13º salário integral. A proposta anterior era que a contribuição fosse a partir de metade do valor. Para efeito de contribuição, os aposentados por tempo de serviço e os que se aposentam antecipadamente pela PREVI passam a ser equiparados nos direitos e obrigações estatutárias. “Fechada a proposta, o banco está consultando as instâncias de governo para aprovação e haverá o debate com o corpo funcional que culminará com consulta ao corpo social para avaliação e votação das propostas”, explica Olivan Faustino, da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe.

                                                                                                     Fonte: Contraf-CUT