Síndrome de Down: inclusão ainda é desafio

23 de março de 2021

No último dia 21 de março, foi comemorado o Dia Mundial da Síndrome de Down. A data não foi escolhida ao acaso: 21/3 refere-se às 3 cópias do cromossomo 21 que as pessoas com síndrome de Down possuem.

A Síndrome de Down ocorre devido a uma falha na divisão celular ainda no útero da mãe. Os códigos genéticos responsáveis pelos traços que recebemos dos nossos pais são agrupados em estruturas chamadas cromossomos e, normalmente, cada célula tem 23 pares dessa estrutura. Essa falha resulta na existência de três cromossomos na posição 21, dando origem assim à síndrome, onde estima-se que, no mundo, a incidência é de 1 em 1 mil nascidos vivos.

No Brasil, a taxa é de 1 em cada 700 nascimentos com trissomia 21, que totaliza em torno de 270 mil pessoas com síndrome de Down e, mesmo com esses números, nosso país ainda aguarda a aprovação de lei para que seja criado o Dia Nacional da Síndrome de Down, que prevê a criação de medidas e políticas voltadas para combater o preconceito contra a síndrome no Brasil, gerando mais oportunidades para os portadores da síndrome de Down.

A participação dos indivíduos portadores da síndrome em atividades escolares e profissionais aumenta as possibilidades de desenvolvimento e interatividade, além de contribuir para uma sociedade mais inclusiva e que respeita as diferenças. A defesa da inclusão é o primeiro passo desta luta por igualdade. Um cromossomo a mais significa muito mais amor!

Você tem acesso a mais informações sobre a síndrome acessando o site: http://www.movimentodown.org.br/